Home Entrevistas Como iniciar uma dieta vegana| Por Eliana Castro
Como iniciar uma dieta vegana| Por Eliana Castro
1

Como iniciar uma dieta vegana| Por Eliana Castro

0
1
No mês de Abril de 2o16 a Sublime Rituais tem o prazer de abordar o tema “Beleza Vegana” e veganismo. A nossa convidada para fazer a curadoria dos produtos da Ritual Box foi a blogueira Eliana Castro, que também dividiu conosco seus segredos de beleza com receitinhas para fazer em casa. Neste texto, a Eliana Conta a sua história e dá algumas dicas bem práticas que podem facilitar o seu caminho caso você esteja pensando em seguir essa filosofia.

Depois de quase 8 anos como vegetariana, em 2007 eu decidi finalmente tentar ser vegana após assistir o documentário Terráqueos. Sempre gostei de carne e laticínios, ao mesmo tempo em que era apaixonada por animais. Eu adiei por muito tempo porque não tinha conhecimento de como fazer a transição para o veganismo, nem informação de como a pecuária podia ser tão perversa aos animais.  

Até agora, desde que eu me tornei vegana, descobri que:

1. Se alimentar numa dieta vegana é muito mais fácil do que eu pensava

Há tantas coisas disponíveis em supermercados normais que substituem carnes, laticínios e ovos, como:  feijão, grão de bico, leite de soja, castanhas, sementes, biscoitos, hambúrgueres vegetarianos, chocolate sem leite. Quando eu tenho um pouco de dinheiro para gastar, vou a lojas especializadas em produtos naturais para comprar coisas como queijos vegetais, sorvetes sem leite, manteiga de amendoim sem açúcar, salsichas veganas, tofu e iogurtes. E, claro, há feiras orgânicas, onde você pode encontrar frutas e vegetais orgânicos.

Sim, você terá que ler os rótulos no supermercado. Sim, você terá que entrar em contato com garçons de restaurantes não-veganos para descobrir se eles servem opções veganas. Mas a boa notícia é: não é difícil e há muita informação na internet e gente disposta a te ajudar.

Você saberá que está fazendo essas coisas porque é uma parte pequena que torna este mundo um lugar melhor, que não estará contribuindo para a exploração de animais e por isso será fácil e, acima de tudo, necessário.

2. Se alimentar numa dieta vegana pode custar mais caro

Assim como qualquer transição para uma dieta mais saudável, a menos que você coma arroz e feijão todos os dias, nem sempre a dieta vegana é mais barata. Hambúrgueres vegetarianos custam mais do que os de carne, leites vegetais custam mais do que o leite de vaca. Isso ocorre porque a maioria dessas coisas é feita com ingredientes nobres que custam mais porque são mais saudáveis ― ou porque os termos “orgânico” e “vegan” estão na moda. Uma dica é: compre a granel itens como castanhas, quinoa, arroz integral, ervilhas, aveia e proteínas vegetais. Economizo muito dinheiro dessa forma!

3. A alimentação vegana pode ser deliciosa!

Eu não consigo entender por que restringir alimentos e calorias para “caber” no biquini é aceito (e até mesmo encorajado) pela sociedade, enquanto recusar produtos de crueldade animal nos faz radicais.

O fato é que ser vegano não nos priva do prazer em comer.

Podemos continuar comendo refeições maravilhosas, sabendo substituir ingredientes e dosar temperos.

duas mulheres em um campo de trigo com óculos de sol e uma fatia de melancia na frente dos seus rostos, como se estivessem sorrindo

4.  Comer é apenas mais uma experiência agradável.

Quando você começa a ver que a sua alimentação faz bem para os animais, para o planeta e para a sua saúde, entende que o que você come não se resume a apenas você, e por isso deixa de ser uma escolha pessoal.

Veganismo é um compromisso moral, é sair da zona de conforto, do status quo e tomar uma atitude através de cada compra, pensando em algo além de nós mesmos. Não adianta ser ‘paz e amor’ em teoria e continuar financiando crueldade.

5.  Veganismo vai além da alimentação.

sono vegana!Produtos de higiene pessoal, roupas, calçados e até mesmo maquiagem podem ser livres ou não de crueldade animal, seja porque contêm matéria prima de origem animal ou porque pertencem a empresas que testam em animais. Existem várias substituições veganas que podem ser feitas e são perfeitamente viáveis e acessíveis. Ninguém nota, por exemplo, que o meu sapato de festa é de couro sintético ou que a maquiagem que estou usando é vegana.

Ao decidir comprar apenas produtos cruelty free, por acaso eu abracei uma abordagem totalmente nova para a beleza, a qual me permitiu descobrir um mundo novo de como os ingredientes funcionam e de onde vêm, quais são os mais saudáveis para mim e como produzir receitas caseiras de beleza. Além disso, me tornei mais consciente ao comprar.

Percebi que empresas mais preocupadas com a ética, na minha experiência, são mais propensas a considerar as necessidades de seus clientes do que simplesmente tentar vender o mesmo batom vermelho convencional.

Para conhecer o Kit Beleza Vegana, clique AQUI.

Quer ler mais NESTE POST sobre o uso de cosméticos veganos.

Temos também uma playlist especialmente feita para o mês Beleza Vegana, AQUI.

Isa Caporali Apaixonada pela sustentabilidade e eterna convicta de que é possível um mundo melhor e mais justo. Minha missão é melhorar a vida das pessoas, elevar sua auto-estima e propor novos caminhos sem que para isso seja necessário agredir a natureza.

Comentários